Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Anónimo

    Boa tarde,Gostava de saber a vossa opinião sobre o...

  • Anónimo

    Engraçado, lembro-me de ir ver jogos co Ribeirao e...

  • Anónimo

    És mesmo burro fdp, achas ou alguem acha que o pre...

  • Anónimo

    Mais um camelo a mamar a custa do clube, com o pas...

  • Anónimo

    Engraçado, há tantos problemas com a cidade, mas e...



tondela1.png

Flavienses saíram do estádio João Cardoso resignados a uma derrota por dois golos sem resposta, repetindo a mesma conjugação de resultados da época transata contra os beirões.

 

Mais uma partida contra os Auriverdes, mais um jogo sem ganhar. Parece que o nosso "nemesis" no campeonato português acaba por ser o Tondela nesta segunda época de regresso ao topo do futebol português, já que o Desportivo acabou por repetir exatamente os mesmos resultados da última temporada frente aos tondelenses (derrota 2-0 fora, empate 1-1 em casa).

 

Filme do Jogo

 

tondela3.png

O Chaves foi a primeira equipa a visar a baliza, com Paulinho a recuperar uma bola perdida à entrada da área aos 6 minutos, mas a atirar por cima. O Tondela respondeu aos 12' com um remate de longe, mas a bola foi à figura de Ricardo. A primeira parte contou com muito "bola cá-bola lá", com o Desportivo a voltar a visar a baliza de Cláudio Ramos aos 19 minutos por Bressan que, com um remate à meia-volta, permitiu uma defesa sem complicações por parte do guardião tondelense.

 

À entrada dos primeiros 20 minutos, um calafrio considerável para os vários adeptos flavienses que se deslocaram ao estádio João Cardoso. Cruzamento rasteiro na direita do ataque local, desvio no coração da área e a bola vai ao poste da baliza de Ricardo. O Chaves não se deixou ficar e causou também um calafrio aos adeptos locais com Davidson a atirar à baliza de cabeça, após cruzamento de Paulinho, mas o guarda-redes a fazer uma grande defesa e a evitar a primeira mexida no marcador. Também Ricardo mostrou serviço na área contrária, com o guarda-redes a esticar-se para desviar a bola após remate de fora da área.

 

No entanto, acabaram por ser os locais a desatar o nó já à beira do intervalo. Bola larga para o flanco direito, cruzamento para o segundo poste e o veterano Ricardo Costa a bater o homónimo guardião do Desportivo. O intervalo chegou pouco depois com o Chaves a ir para os balneários em desvantagem.

 

O segundo tempo abriu com um arrepio para os adeptos do Chaves aos 53 minutos quando, após um mau passe de Jefferson, o Tondela conseguiu meter a bola na área, mas o esférico passou por toda a gente e acabou por ser cortado por Maras.

 

O Tondela revelou-se uma equipa difícil de desencaixar na segunda parte, com os beirões a saberem fechar as portas da sua baliza, principalmente graças ao trabalho do seu guarda-redes. Aos 72 minutos, livre de Bressan a visar a baliza, mas o guardião local estava atento e defendeu para canto. Aos 83', livre descaído para a direita batido por Matheus Pereira, com a bola a ser desviada para a baliza por um defesa local, mas o guarda-redes conseguiu desviar para mais um canto. Aos 87' foi Stephen Eustáquio, que entrou já durante a segunda parte, a atirar à baliza, mas o remate saiu ao lado.

 

Acabou por ser o Tondela a conseguiu dilatar a vantagem no marcador e a ditar que os três pontos ficariam mesmo em terras beirãs. Contra-ataque rápido, Maras parece ser puxado por um jogador local, mas o árbitro assim não entendeu. O jogador auriverde entrou na área e entregou a bola a um colega de equipa, que atirou para a baliza deserta.

 

Homem do Jogo

 

tondela2.png

É sempre difícil apontar um melhor quando o resultado não é positivo, mas vamos fazer um esforço. Tendo em conta a resposta à desvantagem, o título de homem do jogo por parte dos Valentes Transmontanos tem de ir para Matheus Pereira.

 

Depois de um início de campeonato onde conseguiu irritar todos os adeptos do Desportivo, quer pelas constantes perdas de bola, pelas brincadeiras na areia e pelos rumores de idas a determinadas discotecas lisboetas após ser expulso num determinado jogo a contar para a Taça da Liga, a verdade é que o extremo brasileiro entrou nos eixos da equipa de Luís Castro desde a vitória (e estreia a marcar para a Liga) frente ao Belenenses no estádio do Restelo, onde protagonizou um dos melhores golos da jornada.

 

Em Tondela, o extremo procurou usar a sua criatividade com pés e cabeça para abrir a defesa local e criou várias oportunidades para a turma azul-grená, com boas combinações com Paulinho, a fazer processos que deixaram água na boca dos sócios flavienses aquando da primeira passagem por Trás-os-Montes do lateral.

 

Será uma perda forte para o encontro frente ao Sporting, com o substitudo ainda por decidir e que deve estar entre Perdigão e Jorginho, apesar dos dois extremos estarem longe do seu melhor esta época.

 

Ao menos demos luta esta época...

 

Se já parece inevitável não comparar este jogo com o da época passada, mais vale atirarmo-nos de cabeça e olhar um bocado para o que mudou entre a derrota do ano passado e a desta época. Se na época passada a deslocação a Tondela acabou por ser um dos jogos mais desastrosos do ano, o mesmo não se pode dizer do encontro de domingo, apesar do resultado ser igualmente negativo. Apanhados em desvantagem, os jogadores do Chaves não desistiram e mostraram atitude até à última e fizeram os possíveis para inverter o resultado, com boas oportunidades a surgirem, apesar de ser bastante complicado desmontar a defesa tondelense.

 

Se na época transata assistimos a uma estreia, no mínimo, desastrada de Bressan, esta época já conseguimos ver mais do médio bielorrusso, com várias intervenções ofensivas e um ou outro calafrio ao guarda-redes local. No entanto, continua a ser estranha a falta de golos de livre, a imagem de marca na última época, de Bressan, que ainda não conseguiu transformar uma bola parada em golo esta temporada.

 

Já a nível defensivo, apesar de estarmos bastante melhor organizados que na última época, continuamos a deixar a desejar no nosso trabalho defensivo, com aberturas e erros de marcação que teimam em não desapareceu das exibições da linha defensiva. No primeiro golo, por exemplo, a forma como Ricardo Costa consegue cabecear sozinho bem perto da pequena área é no mínimo constrangedor.

 

Há muito trabalho pela frente e esta derrota vem numa das piores alturas possíveis já que se seguem jogos contra Sporting e Sp. Braga, que estão a fazer uma temporada de qualidade, apesar do conjunto leonino estar a brilhar menos que os restantes candidatos ao título.

 

Na próxima segunda-feira, dia 12, há mais futebol no Municipal de Chaves, com a partida frente ao atual terceiro classificado marcado para as 19h00.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)





Comentários recentes

  • Anónimo

    Boa tarde,Gostava de saber a vossa opinião sobre o...

  • Anónimo

    Engraçado, lembro-me de ir ver jogos co Ribeirao e...

  • Anónimo

    És mesmo burro fdp, achas ou alguem acha que o pre...

  • Anónimo

    Mais um camelo a mamar a custa do clube, com o pas...

  • Anónimo

    Engraçado, há tantos problemas com a cidade, mas e...